Artigos

Maringá inicia plano de retomada do desenvolvimento

Maringá inicia plano de retomada do desenvolvimento

63
visualizações

Assim como em diversos países, a economia de Maringá está sendo impactada pela pandemia do novo coronavírus. Milhares de empregos foram ceifados e centenas de empresas enfrentam dificuldade devido à paralisação das atividades e redução do horário de atendimento (conforme decretos municipais), medidas de distanciamento social e redução do consumo. Para ajudar na reconstrução econômica, mais de 20 entidades participam do plano de retomada de desenvolvimento econômico e social, projeto que têm à frente a prefeitura de Maringá e o Sebrae, com a participação da ACIM. O lançamento aconteceu em 23 de junho, ocasião em que foi assinado o decreto para a criação da comitê, cujos trabalhos continuarão até o final do ano.

          O primeiro passo será a aplicação de uma pesquisa, em julho, junto a mais de mil empresas, conta o gerente regional do Sebrae, Wendell Gussoni. O plano também prevê articulação institucional, força-tarefa, comunicação com sociedade, elaborar documentos com base de dados, entre outros. Tudo para auxiliar prefeitura a tomar decisões com base em informações técnicas e criar situações para gerar empregos, novos investimentos, arrecadação de impostos, entre outras situações para impulsionar o ciclo econômico.

          O grupo é composto por federações, sindicatos, universidades e associações que representam vários segmentos do setor produtivo. “É imprescindível traçar um plano de retomada com o envolvimento de todos os segmentos para vencer esta pandemia e a crise gerada por ela”, reitera o presidente da ACIM, Michel Felippe Soares.

          Também para ajudar as empresas que estão em dificuldade e incentivar o comércio local, a ACIM desenvolveu uma campanha veiculada em comerciais de TV, rádio e em redes sociais. Com o tema ‘Juntos por Maringá’, a campanha incentiva a manutenção de empregos, renda e a sustentabilidade das empresas locais, independente do setor ou do tamanho. Os materiais estão sendo veiculados desde o final do mês passado.

Doação de máscaras

          Ainda em junho a Associação Comercial doou cinco mil máscaras N95, usadas em procedimentos de intubação e aspiração traqueal, para profissionais da saúde de 30 municípios que compõem a Associação dos Municípios do Setentrião Paranaense (Amusep) e para o Samu Regional - no total, a entidade importou 20 mil máscaras desse tipo para atender a demanda da região ao longo da pandemia do coronavírus.

          Para o Hospital Universitário de Maringá (HUM), foram destinadas duas mil máscaras N95, além de dez monitores de sinais vitais, entregues em junho. O material faz parte dos investimentos de R$ 1,7 milhão que a entidade e parceiros, como o Sicoob e o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon/PR-Noroeste), fizeram em equipamentos e suprimentos voltados para pacientes da Covid-19.

          Foram comprados ainda respiradores, oxímetros, cufômetros, armários para instrumentos, entre outros equipamentos para o HUM e para o Hospital Municipal. Para os associados e a população, foram doadas 50 mil máscaras, e para as unidades públicas de saúde, foram mil máscaras face shield. Em breve devem chegar os dez respiradores voltados às novas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) destinadas aos pacientes da Covid-19.

Cartilha sobre paciente com Covid-19

Como isolar um paciente com Covid-19 em casa? Este é o assunto de uma cartilha feita pela ACIM para evitar que pessoas com teste positivo da doença contaminem o restante da família. O material está disponível em www.acim.com.br e traz entre as recomendações a necessidade de isolamento dessa pessoa em um cômodo com banheiro. Em caso de compartilhamento de cômodos, é preciso usar máscaras, luvas e sapatilhas descartáveis. Também é preciso adotar sabonetes, toalhas, pasta de dente, pratos, copos e talheres separados. As louças devem ser entregues em uma bandeja e depois higienizadas com água sanitária ou álcool 70%. Louça, roupa de cama e de vestuário devem ser lavadas separadamente, e o próprio doente deve ficar responsável por fechar o saco de lixo que fica no quarto. Um vídeo com dicas de infectologista também aborda o assunto e está publicado nas redes sociais da ACIM.