Artigos

Na esteira da digitalização, infoprodutos ganham destaque

Na esteira da digitalização, infoprodutos ganham destaque

11
visualizações
Estava tudo pronto para o lançamento do curso presencial Style Tools, da consultora de imagem Glenda Perdoncini, quando a pandemia chegou, no ano passado. A solução imediata foi transformar o curso em infoproduto, ou seja, adaptá-lo para o ambiente online. Só que em vez de gravar o conteúdo em vídeos, Glenda optou por aulas ao vivo com turmas pequenas, material de apoio digitalizado e grupo de WhatsApp para as alunas sanarem dúvidas e trocarem informações.

“A proposta do curso é ajudar mulheres a mapear o estilo pessoal para desenvolver um novo olhar sobre si e, assim, construir a autoimagem”, explica Glenda, que também é palestrante, instrutora de workshop e proprietária do Consultório de Estilo. Com essas características, o atendimento requer personalização e, por esse motivo, exigiu análise para definir os canais que pudessem manter a experiência presencial no online. “A questão não foi adaptar o conteúdo ou me dar bem com a câmera, mas manter a qualidade do atendimento”, enfatiza.

Outro desafio foi ter agilidade para adaptar o curso em tempo recorde, já que ela manteve o cronograma de lançamento. Na correria, Glenda não teve tempo de estudar sobre marketing digital e, por isso, a divulgação ocorreu de forma orgânica nos canais que ela utilizava, como WhatsApp e duas contas no Instagram que somam mais de 12 mil seguidores. Mesmo assim, o resultado foi surpreendente.

“Tivemos muitos inscritos e até alunos de fora do país. Além disso, tiveram pessoas que compraram o produto presencial para serem atendidas depois da quarentena”. A empresária pretende continuar apostando no mercado de infoprodutos. “Confesso que antes não gostava da ideia de digitalização, mas repensei a importância da presença online e do nicho de infoprodutos para o meu negócio”, revela.

A consultora de imagem Glenda Perdoncini oferece aulas online ao vivo para pequenas turmas: “a questão não foi adaptar o conteúdo ou me dar bem com a câmera, mas manter a qualidade do atendimento”

Quantidade de alunos

Assim como Glenda, outros empresários se renderam ao mercado de infoprodutos durante a pandemia e tiveram resultados positivos, como a maquiadora Letícia Pequeno. Embora ela tenha mais de meio milhão de seguidores no Instagram, foi surpreendida com a quantidade de alunos que conquistou no primeiro curso online sobre técnicas de maquiagem para noivas, lançado no ano passado. 

“Na internet a repercussão é grande. Em pouco tempo tinha mais alunos do que a maior turma presencial que já tive, com 300 participantes”, ressalta. Letícia observou outros benefícios do infoproduto, como a liberdade geográfica e a praticidade tanto para o professor quanto para os alunos, já que é possível acessar o curso de qualquer parte do mundo e em qualquer horário. “Quem opta por aulas gravadas e pela hospedagem do curso em plataforma de produtos digitais, como eu fiz, também pode ter um número ilimitado de alunos”, frisa.

Para o lançamento, a empresária apostou na divulgação orgânica em rede social e em grupos de WhatsApp nos quais reúne alunos de outras turmas. “Foram estratégias assertivas que renderam até a venda de outros produtos e serviços. Por isso, estou desenvolvendo mais cursos online com previsão de lançamento para maio, e sigo com o ensino presencial que, inclusive, está com agenda cheia para ser cumprida assim que passar este período crítico de pandemia”.

Quem vê a carreira bem-sucedida, construída ao longo de oito anos, não imagina que tudo começou de forma despretensiosa, quando Letícia assistia a tutoriais no Youtube para aprender a se maquiar. “Por me interessar pelo assunto, meu marido me incentivou a vender maquiagem. Segui o conselho, e as clientes começaram a me contratar para maquiá-las. Não parei mais. Atendia em domicílio, depois trabalhei quatro anos em salão de beleza e há três anos abri o próprio estúdio”, conta.

Na avaliação da empresária, a qualidade do trabalho somada à constância de postagem nas redes sociais e à parceria com blogueiras, que publicaram os seus tutoriais de automaquiagem, garantiram visibilidade e a conquista de público engajado. “Batalhei para alcançar esse resultado. Sempre valorizei as redes sociais e até abri a minha rotina nas postagens para inspirar outras pessoas, provocando empatia e identificação. Assim, converti seguidores em clientes e, naturalmente, surgiu demanda para cursos”, cita.

No início, Letícia ensinava apenas automaquiagem, depois elaborou cursos de maquiagem para iniciantes e, agora, se dedica à especialização de profissionais. “Embora haja conteúdo gratuito na internet, tem muito espaço para a venda, porque quem quer aprender de forma organizada e aprofundada paga por isso. Sem contar que há pessoas que se identificam comigo e com meu jeito de ensinar e, por isso, preferem o meu produto”.

“Na internet a repercussão é grande. Em pouco tempo tinha mais alunos do que a maior turma presencial que já tive, com 300 participantes”, conta a maquiadora Letícia Pequeno

Ensino e aprendizado

Quem também está satisfeita de ter ingressado no universo de infoprodutos é a chef Silvia Boff. Ela é apaixonada por gastronomia desde a infância, mas acabou optando pela graduação de Música e fez carreira em conservatório. Depois que casou, passou a exercitar a culinária como hobby, ensinando receitas para mulheres que não sabiam cozinhar.

O número de interessadas em aprender, porém, só aumentou, e a musicista foi se envolvendo cada vez mais com a gastronomia. Há quatro anos, Silvia decidiu se graduar para, enfim, mudar de profissão. “Nessa transição não poderia deixar de lado o ensino. Então, além de ministrar cursos, passei a palestrar e a conduzir workshops, mas até então era tudo presencial. Quando começou a pandemia, não teve jeito, tive que me render ao ambiente online”, declara.

O primeiro curso online da chef foi lançado no início do ano. Com foco em panificação, está organizado em cinco módulos com aulas curtas e práticas que ensinam a fazer desde um pão simples à fermentação natural. “Não tive dificuldade para adaptar o conteúdo para aulas gravadas, porque dá para abordar os mesmos conhecimentos e técnicas. Sem contar que estava acostumada com câmeras, porque participei de programas de TV”, comenta. O curso é vitalício, com atendimento via WhatsApp para sanar dúvidas e enviar novas receitas para os alunos. 

A chef também alimentava, há sete anos, suas redes sociais com receitas, dicas e novidades. Neste período, conquistou mais de dez mil seguidores no Instagram e, apesar do público considerável, optou por contratar uma agência de marketing digital para conduzir a divulgação do lançamento e a hospedagem do infoproduto. “O resultado foi excelente e surpreendente porque superamos as vendas dos cursos presenciais”, comemora.

Animada, Silvia começou a palestrar e a conduzir consultorias online, e até decidiu aprender sobre marketing digital. “O mercado de infoprodutos realmente compensa, mas para quem quer ingressar no universo costumo dizer que, primeiro, é preciso se identificar com um nicho. Depois é preciso estudar para dominar o conteúdo que vai ensinar, aprender sobre marketing digital, não ter medo de aparecer, manter constância na postagem de conteúdo nas redes sociais e ter persistência”, completa.

“O mercado de infoprodutos compensa, mas para quem quer ingressar no universo costumo dizer que, primeiro, é preciso se identificar com um nicho”, recomenda a chef Silvia Boff

Potencial

A criadora de conteúdo Raíssa Gilavert concorda com as dicas da chef, e também criou um infoproduto. Apesar de nunca ter ministrado curso presencial, ela acumula experiência de dois anos no comando de uma agência de mídia social que abriu com o marido. Ao longo deste período também conquistou 2,3 mil seguidores na sua conta de Instagram pessoal por abordar temas como social media, criatividade, e lifestyle.

“Tenho recebido mensagens de seguidores que pedem ajuda para se tornar criador de conteúdo. Essa procura motivou a preparar o meu primeiro curso online”, cita Raíssa. Estruturado em dez módulos com três a dez videoaulas, o infoproduto foi lançado no início do ano. “Muita gente comprou porque ensino de forma organizada o caminho para se tornar criador de conteúdo e conquistar os primeiros clientes. Assim, fica mais fácil e rápido aprender a atuar na internet”, acrescenta.

Apesar de atuar com marketing digital e estar acostumada a postar as próprias fotos no Instagram, Raíssa revela que foi desafiador gravar as aulas por se considerar introvertida. “Precisei sair da zona de conforto e acreditar no meu potencial. Além disso, busquei aprender mais sobre marketing digital para desenvolver estratégias de lançamento e de venda do curso”, conta.

Com divulgação orgânica em redes sociais, WhatsApp e hospedagem em plataforma digital, o resultado das vendas foi positivo. “A própria pandemia incentivou esta procura, porque empresas e pessoas despertaram para o ambiente online. Além disso, a maioria dos alunos tem a intenção de se tornar criador de conteúdo e abrir o próprio negócio”, destaca, ao acrescentar que a visibilidade proporcionada pelo infoproduto resultou em novos clientes para a agência de social media.

Com a visibilidade dos cursos online, a criadora de conteúdo Raíssa Gilavert conquistou clientes para a agência de mídia social que é sócia

ACIM oferece educação a distância

Capacitar e incentivar a inovação, o desenvolvimento e o empreendedorismo de forma prática, atual e relevante. Estes são os objetivos da Escola de Negócios da ACIM, que além de cursos presenciais e online, oferece plataforma de educação a distância com mais de 1,2 mil títulos. 

Com foco em educação corporativa, a Escola de Negócios atende empresários, gestores e colaboradores. Entre as opções de infoprodutos estão cursos online/ao vivo e aulas gravadas a distância, com conteúdos que vão desde operacionais até o universo de gestão e negócios. Todos são autorizados pelo Ministério da Educação (MEC) e, ao concluí-los, os alunos recebem certificado com a marca da ACIM. 

Para participar, os alunos podem adquirir um curso individual por R$ 79,90 ou a trilha de conhecimento (três ou mais cursos com desconto). Há ainda a assinatura no valor de R$ 99 por mês, que permite acessar todos os títulos e dá direito a baixar as aulas para assistir offline. As empresas que investem em capacitação para grupos de colaboradores têm descontos especiais.