Artigos

Pimenta mais ardida do mundo  é cultivada em Maringá

Pimenta mais ardida do mundo é cultivada em Maringá

66
visualizações

Reconhecida pelo Guinness Book, o Livro dos Recordes, como a pimenta mais ardida do mundo, a Carolina Reaper é cultivada o ano inteiro em Maringá pelo produtor Rildo Cazé. No viveiro localizado na rua Luiz Correia, 153, Cidade Jardim, há 150 pés da exótica pimenta norte-americana, cultivada em vasos. A produção é vendida no local e pela internet por R$ 50 o quilo - cada pé rende cerca de 10 quilos por ano. 

Além de comercializar o produto para todo o Brasil, Cazé vende para outros países, como Estados Unidos, Trindade e Tobago, Sérvia e Kosovo. Ele vende tanto o fruto quanto a semente, a planta e um molho de produção própria. Mas o produtor avisa: por mais popular que seja entre os amantes de pimenta, a Carolina Reaper é apenas para degustação e precisa ser consumida com cuidado, porque pode atingir um nível de pungência (ardência) de até 2,2 milhões - para comparação, a pimenta malagueta fica em 75 mil. “Se alguém comer mais do que o recomendado, alimentos como iogurte e requeijão diminuem a queimação por causa da lactose”, explica o produtor.

Sociedade com fundo de investimento

O fundo Trinus.co firmou sociedade com a Bravo Empreendimentos, de Maringá, para os próximos seis projetos da incorporadora imobiliária, o que renderá um Valor Geral de Vendas (VGV) estimado de R$ 600 milhões. O primeiro empreendimento da sociedade é o BE Garden, localizado na Zona 8 de Maringá, com 264 apartamentos do tipo studio, com 33 metros quadrados cada, distribuídos em 22 andares, além de área de lazer e eficiência térmica e energética garantidas pelas certificações WELL e GBC Condomínio.

A Trinus é um dos maiores fundos de tijolos do país com patrimônio líquido estimado de R$ 1,5 bilhão. Segundo o head de Vendas da Bravo, Iury Jacob, “uma parceria desse porte mostra que a Bravo está trilhando o caminho certo. É o selo de confiança de uma empresa estabelecida nacionalmente, com um portfólio respeitado. Com essa sociedade, a ideia é acelerar as entregas de tecnologia e a criação de produtos e serviços”. 

Segunda agência

Para expandir o cooperativismo de crédito, principalmente para empresas e profissionais da saúde, a Uniprime do Brasil inaugurou a segunda agência em Maringá, em maio, na praça Deputado Heitor Alcântara Furtado, 198. Trata-se do 39º ponto de atendimento da cooperativa que é presidida por Alvaro Jabur. “Estamos felizes em inaugurar mais uma agência em Maringá, nesta cidade que é reconhecida pela sua qualidade de vida e pela geração de empregos e negócios”, afirmou. A Uniprime é a maior cooperativa de crédito do país com foco na área da saúde, administrando R$ 5,2 bilhões em recursos. Possui volume de crédito de R$ 2,3 bilhões e patrimônio líquido de R$ 770 milhões, tem 40 mil cooperados e atuação no Paraná e São Paulo.

SVN compra Bravus e assessoria  chega a R$ 16 bi

A SVN Investimentos, escritório parceiro da XP com sede em Maringá, anunciou a compra da Bravus, um dos maiores escritórios de investimentos de Londrina. Com a transação, finalizada na primeira quinzena de maio, a SVN acrescentou R$ 1,5 bilhão ao patrimônio, atingindo R$ 16 bilhões sob assessoria - o volume inclui outra associação recente no Nordeste, porém, ainda não formalizada.

Fundada em 2007, a SVN foi adquirida por Felipe Bernardes em 2009, com o objetivo de revolucionar os investimentos na Bolsa de Valores. Para o escritório, que cobre as principais operações de renda variável e fixa, a aquisição da Bravus é uma estratégia para fortalecer a atuação no Paraná e faz parte da nova fase da SVN, que visa não só o crescimento orgânico, mas também por meio da compra de outros escritórios.

Maringá é Cidade Árvore do Mundo, diz ONU

Maringá recebeu o título de ‘Cidade Árvore do Mundo’, concedido pela Organização das Nações Unidas Para a Alimentação e a Agricultura (FAO-ONU) e Fundação Arbor Day. A cidade integra o ranking com um grupo seleto, ao lado de metrópoles como Paris, Milão, Madri e Nova Iorque. Além disso, são poucos os municípios que possuem o título na América do Sul.

Em documento enviado para a defesa do título, a Secretaria de Limpeza Urbana de Maringá explica que “a cidade possui 21 áreas de preservação ambiental. Destas, 14 são parques. São 90 praças e diversas calçadas ecológicas. Com floresta remanescente da Mata Atlântica, Maringá tem as árvores como patrimônio cultural. Atualmente a cidade apresenta, em média, 150 mil árvores”. No documento também foram citadas leis e projetos municipais que visam à preservação do meio ambiente.

Planejado, Eurogarden está aberto à visitação 


Planejado e unindo tecnologia, sustentabilidade e qualidade de vida, o bairro Eurogarden está aberto à visitação da população desde maio, quando foram inauguradas as avenidas Valdir Nogaroli e Sonia Guerra Nogaroli.

Há mais de dez anos, o empresário Jefferson Nogaroli contratou o escritório francês Archi 5 para projetar o Eurogarden, que é chancelado pela expertise de profissionais do Brasil e do mundo, como a A5 Arquitetura, responsável pela reestruturação do masterplan; Guido Petinelli, uma das maiores autoridades do país em projetos sustentáveis; e o arquiteto Edson Yabiku, que trabalhou no escritório britânico Foster & Partners e participou de projetos de renome mundial. Já os jardins foram planejados pelo renomado paisagista Sergio Santana. “O Eurogarden deixará um legado para Maringá e região, desde a geração de empregos, impostos, desenvolvimento, progresso, área de compras, lazer e turismo”, sintetiza Nogaroli. 

O projeto prevê ciclovias, bike stop, conceito de caminhabilidade e lixeiras subterrâneas. “Construímos o Eurogarden para se tornar o melhor bairro na melhor cidade para se viver. No futuro próximo, contará com prédios modernos e ruas com paisagismo europeu, shopping a céu aberto com sistema viário de pedestre e total mobilidade. É o conceito one stop life: morar, trabalhar, ter filhos na escola, lazer e fazer compras sem sair do bairro”, diz o empreendedor. 

O bairro, que fica ao lado do Hospital da Criança e do futuro centro cívico, tem 583 mil metros quadrados. A primeira fase está em andamento, com 179 mil metros, sendo que a pavimentação, ciclovias, jardins e praças estão prontas. Em seguida será construída uma torre comercial. Nas fases seguintes, a parte residencial. O projeto prevê o plantio de 20 mil árvores, de 300 espécies, sendo que 3 mil já foram plantadas.

Maringá Capital investe R$ 3 mi em startup 

Formada por investidores para fomentar o ecossistema de startups, o Maringá Capital realizou o primeiro aporte: R$ 3 milhões foram investidos na Iris Pay, de Londrina. Com seu primeiro produto para o mercado de automação de vendas de bebidas de forma fracionada, tecnologia própria e patenteada, o negócio visa à estruturação de equipes e expansão a partir da parceria, cujo plano de negócio seguirá pelos próximos 18 meses. 

Pioneiro na cidade, o Maringá Capital nasceu em 2017 a partir de uma ação organizada pelo Sebrae Paraná para fomentar startups e negócios escalonáveis. Os empresários, de diversas áreas, miram projetos de alto potencial, selecionando portfólios com filtro na qualidade e em critérios como plano de negócio; equipe; potenciais clientes; foco em crescimento acelerado; modelo de negócio inovador e com transformação de mercado. Há preferência por negócios B2B, que busquem solucionar problemas por meio da tecnologia e com grande capacidade de crescimento. “Estamos confiantes no projeto e na equipe da Iris Pay e ajudaremos a colocar mais uma empresa escalando globalmente”, frisa o presidente do Maringá Capital, Ilson Rezende. 


Com nova sigla, Unicv inaugura centro jurídico 


Com mais de 60 cursos de graduação e aproximadamente 40 mil alunos, a UniCV, Centro Universitário Cidade Verde, passou por transição de marca, que resultou na mudança da sigla – antes era UniFCV. A instituição também conta com novo Centro de Ciências Jurídicas (CCJ) para receber a estrutura do curso de Direito, Serviços Jurídicos, Serviços Penais, Segurança Pública, além do Núcleo de Prática Jurídica. Com 1,4 mil metros quadrados, o CCJ possibilita o desenvolvimento de projetos de ensino e extensão, como as orientações para a comunidade indigenista, audiências de mediação com consumidores endividados e atendimentos a jovens infratores, por meio da parceria com instituições como a Vara da Infância e Juventude. 

A inauguração do Centro de Ciências Jurídicas foi prestigiada pelo jurista e ex-procurador da República Deltan Dallagnol, que também ministrou palestra durante o XVI Ciclo de Estudos da UniCV e integrará o corpo docente dos cursos de pós-graduação. A sede administrativa da instituição e o novo centro jurídico ficam na avenida Horácio Raccanello, 5.415; na foto, o jurista Deltan Dallagnol, o reitor José Carlos Barbieri e a diretora de Ensino e Extensão, Luzia Deliberador.