Artigos

A paz pede passagem

A paz pede passagem

235
visualizações

O mês de outubro nem tinha acabado e o conflito envolvendo Israel e o Hamas, em Gaza, já tinha registrado mais de seis mil mortes. Tristemente, as notícias indicam que a guerra parece estar longe do fim, com Israel rejeitando o pedido de cessar-fogo e com o receio do aumento da escalada da violência com o envolvimento do Irã, aliado do Hamas. 

O atual conflito teve origem após o ataque do Hamas, grupo terrorista, em 7 de outubro. Israel retaliou e o que se tem visto é uma barbárie: as vítimas não têm idade ou nacionalidade; são crianças, adultos e idosos de vários países, inclusive brasileiros. Há reféns, comunidades destruídas, hospitais à beira do colapso, falta de alimentos e água à população, que se não bastasse, teme pela vida. A Organização das Nações Unidas (ONU) denuncia crimes de guerra dos dois lados.

Na região, os conflitos são históricos: têm mais de cem anos. A própria criação do Estado de Israel, em 15 de maio de 1948, aconteceu sem uma solução pacífica para os palestinos. No dia seguinte à criação, teve início a primeira guerra árabe-israelense. 

Não bastasse a guerra entre palestinos e israelenses, o mundo acompanha outro conflito, envolvendo Rússia e Ucrânia que teve início há mais de um ano, em fevereiro de 2022. Independente de qual lado tenha mais razão, os conflitos são uma prova que é preciso mais tolerância e equidade. É preciso que o radicalismo dê passagem para a harmonia. É preciso que a guerra ceda espaço para a paz. As vidas devem estar acima de interesses religiosos, históricos ou territoriais. Nada justifica a morte sangrenta fruto de uma guerra.

No nosso dia a dia de empresários e colaboradores também podemos exercitar a escuta, dar vez à empatia, respeitar crenças e escolhas. Todos devem ter seus direitos e espaços respeitados. Onde há diálogo, há menos espaço para o conflito. Que estas guerras que ceifam tantas vidas inocentes possam chegar ao fim rapidamente. O mundo pede paz.

 

José Carlos Barbieri é presidente da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM)