Artigos

Trabalho e união para superar desafios

Trabalho e união para superar desafios

223
visualizações

Em meio à perplexidade provocada por uma crise de proporções globais, o ano de 2020 entra para a história como um dos mais desafiadores das quase sete décadas da Associação Comercial e Empresarial de Maringá. A pandemia do coronavírus tornou necessário adotar medidas de distanciamento social e restrições que afetaram o modo de se relacionar, trabalhar, estudar, produzir, consumir, fazer negócios, entre outros. Tecnologias precisaram ser incorporadas rapidamente à rotina das empresas para a construção de um ambiente virtual capaz de substituir, na medida do possível, os ambientes físicos. 

De modo a atender as necessidades dos associados e da sociedade, assim como se adequar internamente, a ACIM atuou em várias frentes para equilibrar a proteção da população e a viabilização dos negócios. Foi um trabalho que contribuiu para preservar empresas e empregos. “Foram incontáveis horas de trabalho voluntário dos diretores e o envolvimento da equipe de colaboradores, em meio a um cenário incerto de propagação da Covid, enormes desafios para as empresas e para nossa entidade, que precisou oferecer apoio técnico, financeiro e jurídico para os empreendedores”, resume o presidente da Associação Comercial, Michel Felippe Soares. 

Desde a publicação do decreto n° 445/2020, que suspendeu o funcionamento de vários segmentos econômicos em 20 de março como medida de enfrentamento à pandemia, a entidade tem somado esforços e mantido diálogo com a prefeitura, secretários municipais, Ministério Público e outras entidades.

Com a suspensão de atividades não essenciais, no final de março, a entidade pleiteou o funcionamento das atividades essenciais e do sistema de delivery para os demais setores. Também atuou de forma efetiva nas negociações por medidas compensatórias tributárias e econômicas para minimizar os impactos nas empresas.

Por meio do departamento jurídico, orientou e esclareceu dúvidas dos empresários sobre as possibilidades permitidas na legislação para minimizar os impactos trabalhistas. Para evitar aglomerações, recomendou a adoção do teletrabalho (home office) mediante o consentimento do trabalhador e do empregador. 

Os empresários também puderam optar por férias coletivas ou redução de jornada ou dias de trabalho com redução proporcional de salários por até seis meses. Outras possibilidades apresentadas foram a paralisação temporária das atividades ou adoção de banco de horas para compensação posterior.


R$ 80 milhões para a sobrevivência dos negócios

Diante das dificuldades financeiras das empresas, a ACIM firmou convênios para oferecer crédito acessível. No total, foram ‘emprestados’ R$ 80 milhões. Parte do crédito foi disponibilizado por meio da Noroeste Garantias. A entidade atuou como avalista dos pequenos empresários, por meio de operações feitas junto ao Sicoob Metropolitano. Foi possível emprestar até R$ 100 mil a partir de 0,49% ao mês, seis meses de carência e 12 parcelas para pagamento.

Outros R$ 50 milhões foram disponibilizados pelo Sicoob às empresas associadas com taxa de juros a partir de 0,56% ao mês, com seis meses de carência e outros 12 meses para pagar. 

Em outubro a entidade aportou R$ 500 mil no fundo garantidor da Noroeste Garantias, para operações exclusivas para associados (foto). Como a taxa de alavancagem corresponde a dez vezes o valor do aporte, com os recursos é possível avalizar R$ 5 milhões em crédito. 

Entre outras medidas implantadas para minimizar os impactos econômicos, a entidade encaminhou ofícios ao governador Ratinho Junior e ao prefeito Ulisses Maia pedindo postergação, por três meses, do pagamento de impostos, para empresas de todos os portes.

Em resposta, a prefeitura de Maringá prorrogou o pagamento de tributos municipais do Simples Nacional e de MEIs, com vencimento entre março e junho. Já o governo do Estado anunciou ações que somaram R$ 1 bilhão para estimular a atividade econômica e preservar empregos, incluindo a postergação do recolhimento de parte do ICMS devido pelas empresas do Simples Nacional.

Também reivindicou a oferta de um plano de refinanciamento desses tributos com pagamento postergado sem a incidência de juros e outros encargos.



Saúde pública e proteção da comunidade

Engajada, a ACIM estendeu seu suporte à sociedade e liderou uma campanha para arrecadação de recursos para a compra de equipamentos para novas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Os recursos foram destinados à compra de equipamentos para a instalação de leitos para atender pacientes com coronavírus. Foram adquiridos dez respiradores, dez monitores, 20 oxímetros, medidores de sinais vitais, cufômetros, armários para instrumentos, entre outros equipamentos para o Hospital Universitário de Maringá (HUM) e o Hospital Municipal.

Para ajudar no combate à propagação do coronavírus, a entidade distribuiu milhares de máscaras à população, lançou site e produziu vídeos com infectologistas com informações sobre a doença, recomendações de higiene e orientações sobre como evitar a contaminação no trabalho, no transporte público e no comércio. 

 Outra ação foi a doação de milhares de álcool 70% para hospitais e unidades de saúde de Maringá, Cianorte, Japurá e Floraí com a colaboração de parceiros.



Diálogo e retomada 

Durante o período em que as empresas estiveram fechadas, a ACIM elaborou estudos para a retomada segura e gradativa das atividades, inclusive com escalonamento de horários para entrada e saída dos funcionários, evitando a sobrecarga do transporte coletivo. Foram apresentadas sugestões de cronograma de reabertura baseado em indicadores sobre usuários do transporte coletivo, perfil dos colaboradores e porte das empresas. O documento foi elaborado em conjunto com uma equipe multidisciplinar composta por médicos, geógrafos, estatísticos, empresários, lideranças e uso de programas de geolocalização.

A reivindicação veio acompanhada da recomendação para as empresas intensificarem as ações de limpeza, disponibilização de álcool em gel, divulgação de informações sobre a Covid-19, adoção de medidas para evitar aglomeração e manutenção de equipes em home office, quando possível. Foi sugerida ainda a composição de uma governança com a missão de avaliar os indicadores na cidade, com representantes da rede hospitalar, setor público e setor produtivo.

Em defesa da reabertura das empresas, assinou um manifesto, junto a 14 entidades, cobrando a retomadas das atividades econômicas na cidade sob o risco de ‘colapso econômico e social’, já que empresas estavam decretando falência e fechando postos de trabalho. 

Sensibilizada, a prefeitura liberou o funcionamento das lojas do comércio de rua até as 19 horas sob o argumento de sobrecarregar o transporte coletivo nos horários de pico e evitar aglomerações. Para tanto, foi necessário incluir um termo aditivo à convenção coletiva entre os sindicatos patronal e laboral do comércio.

Também acompanhou a retomada gradual das atividades da construção civil, indústrias, padarias, prestação de serviços, clínicas médicas, de fisioterapia, bares, restaurantes, shoppings, academias, escolas de natação e de artes marciais.



Crédito para manutenção dos negócios 

  • Disponibilização de linhas de crédito emergenciais voltadas para capital de giro para micro e pequenos empreendedores, totalizando R$ 80 milhões em recursos
  • Noroeste Garantias avalizou operações com taxa de juros a partir de 0,49% ao mês e seis meses de carência, somando 1,1 mil operações
  • Fomento Paraná, que tem ponto de atendimento na ACIM, fez mais de 750 atendimentos e iniciou 220 propostas, com taxa a partir de 0,68%
  • Sicoob Metropolitano, grande parceiro da ACIM, disponibilizou crédito com seis meses de carência e taxa a partir de 0,56% ao mês


Capacitação 

  • produção e veiculação de podcasts e lives (transmissões pela internet) semanais, com especialistas de várias áreas, como inovação, marketing digital e gestão de marcas
  • lives e palestras online com especialistas, a exemplo do Fórum ACIM Mulher, que trouxe palestra da diretora de Varejo do Google, Gleidys Salvanha, em 12 de agosto
  • disponibilização de cursos gratuitos na plataforma de educação a distância da ACIM.


Apoio à saúde pública 

  • aquisição de 20 mil máscaras N95 indicadas para profissionais que fazem procedimentos de intubação ou aspiração traqueal
  • aquisição de mil máscaras face shield destinadas às unidades públicas de saúde
  • doação de luvas, aventais, máscaras e frascos de álcool para hospitais, asilos, associações beneficentes e unidades de saúde
  • aquisição e doação de 50 mil máscaras para a população e associados, que puderam retirar gratuitamente na sede da entidade
  • vídeos informativos sobre suspensão do contrato de trabalho, redução da jornada e do salário; férias; banco de horas; marketing digital; cobrança de aluguel 
  • vídeos com dicas de infectologista sobre como usar o transporte coletivo com mais segurança, uso correto de máscaras, cuidados ao chegar em casa após um dia de trabalho, entre outros
  • Uniu-se à Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) na elaboração de um guia prático para estabelecimentos do setor sobre os cuidados para evitar a proliferação da doença


Maringá Liquida online e física  

Pela primeira vez na história, os consumidores puderam aproveitar as ofertas da Maringá Liquida sem sair de casa - e quem preferiu fez compras presenciais. Isso porque, adaptando-se à realidade do mercado, a edição deste ano da campanha organizada pela ACIM e pelo Sivamar contou com loja virtual. 

Os organizadores disponibilizaram para os lojistas uma plataforma online para cadastro de produtos, com chat online e por Whatsapp, integração com o sistema dos Correios e rastreamento do pedido.  

Neste novo formato, o consumidor teve a opção de escolher entre receber as compras em casa, retirar na loja ou comprar presencialmente. E, independente da modalidade de compra escolhida, concorreu a quase R$ 100 mil em prêmios distribuídos por meio de raspadinhas. 

Outra novidade foi que a campanha ganhou um dia a mais para evitar aglomerações nas lojas. Em vez de quatro dias, foram cinco dias, de 8 a 12 de setembro. A ACIM ainda ofereceu duas capacitações antes da campanha e concedeu subsídio aos associados para a aquisição do kit de participação.

O modelo híbrido agradou. Pesquisa realizada posteriormente apontou que os lojistas atribuíram 7,2 à campanha. Em relação à data escolhida, a média foi 7,9, enquanto o atendimento da ACIM durante a campanha recebeu 8,3.



Responsabilidade social e solidária

Reforçando seu compromisso com ações sociais e solidárias, a Associação Comercial criou o Instituto ACIM, por meio do qual exerce a própria responsabilidade social e incentiva empresas a trilhar este caminho.

O instituto foi oficialmente implantado em 28 de julho, data da posse da primeira diretoria, com mandato de dois anos. A empresária Nádia Felippe ocupa o cargo de presidente e George Coelho, vice-presidente. Há ainda três vice-presidentes por área e 17 conselheiros administrativos. O Conselho Superior conta com membros fundadores e convidados.

Parte dos recursos para os projetos foram angariados por meio do projeto ‘ACIM se ama, assim se abraça’, que este ano ocorreu em formato drive.Devido à recomendação de distanciamento social, as conselheiras da ACIM Mulher comercializaram 300 cestas com ingredientes para que os próprios compradores colocassem a mão na massa. A entrega aconteceu no sistema drive-thru em 26 de setembro. 

O Instituto ACIM atua na elaboração de projetos, assessoria de empresas na área de projetos socioambientais, incentivo à responsabilidade social por meio de renúncia fiscal e capacitação/certificação de empresas sustentáveis ligadas ao Pacto Global. Uma das primeiras ações foi a certificação de 11 empresas com o selo ODS, como reconhecimento ao desenvolvimento de iniciativas em prol dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) – a entrega dos selos foi em 19 de outubro. Essas companhias participaram de uma jornada, que incluiu imersão sobre ODS, capacitação e workshop para construção de projetos e indicadores, entre outros, com a parceria do Sebrae. Outras iniciativas foram a realização do Summit, um evento online e presencial para discutir os ODS e a adesão de 62 companhias maringaenses ao Pacto Global, graças a uma campanha de incentivo realizada pelo Instituto ACIM. 


Incentivo ao comércio local

Em apoio às empresas e à economia local, em dificuldade por conta da crise econômica, a ACIM lançou uma campanha incentivando a população a comprar no comércio maringaense.

O vídeo divulgado nas redes sociais buscou sensibilizar o público por meio de um diálogo entre avô e neto, em que o senhor fala sobre as dificuldades para pagar as contas e o receio de ter que fechar a loja tradicional da família. 

O vídeo ressalta que, mesmo sem poder abraçar, beijar ou apertar as mãos, é possível se unir em tempos de distanciamento social para ajudar os empreendedores que geram empregos e renda na cidade. O material pode ser conferido nas contas do Instagram e do Facebook da @acim.maringa


Espaço para a inovação

Um espaço colaborativo de incentivo à inovação e troca de informações. Assim é o Inovus, laboratório criado pela ACIM que foi inaugurado em 17 de agosto (foto). No espaço micro e pequenos empresários têm acesso a treinamentos, consultorias e experimentação em metodologias ágeis, inclusive com participação gratuita em algumas atividades. “Queremos incentivar a inovação em produtos, processos e serviços”, destaca o presidente da Associação Comercial, Michel Felippe Soares.

O primeiro programa colocado em prática foi o ‘Inovus - Teste sua ideia’, que recebeu 55 inscrições e selecionou oito projetos, que participaram gratuitamente de formação para avaliar e validar ideias e, posteriormente, construir o produto/serviço. Neste programa, a ACIM contou com a parceria do Sebrae/PR, Sicoob e Evoa Aceleradora.



Comitê de retomada da economia

Em junho, a ACIM se uniu à Prefeitura de Maringá e mais de 20 entidades para elaboração do plano de retomada do desenvolvimento econômico e social de Maringá. O trabalho do comitê é coordenado pelo Sebrae e foi dividido em várias etapas, como articulação institucional, elaboração de documentos com dados econômicos e sociais e comunicação com a sociedade. O objetivo é ajudar na tomada de decisões da prefeitura, gerar empregos, investimentos e impulsionar o ciclo econômico.



Duplicação da PR- 317 

O secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex, visitou a ACIM em 9 de março, ocasião em que recebeu da entidade o anteprojeto de duplicação de 20 quilômetros da rodovia PR-317, que liga Maringá e Iguaraçu. No total, a iniciativa privada desembolsou R$ 600 mil para a elaboração e a readequação do projeto, que deverá ser executado pelo governo do estado. Pelo trajeto circulam 16 mil veículos por dia. 

Em setembro, a duplicação da rodovia – reivindicação antiga da comunidade de Maringá e região – foi incluída no programa de infraestrutura de melhorias e modernização de rodovias, que soma mais de R$ 4 bilhões, anunciado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior. As obras estão prontas para serem licitadas, e a expectativa é que comecem no início de 2021. 

Outra iniciativa na área de mobilidade foi a doação, para a prefeitura, de projeto de recapeamento de ruas de Maringá.



Capacitação profissional e inovação 

A ACIM transformou o Centro de Treinamentos em Escola de Negócios. Inaugurada em outubro, a escola assume a tarefa de capacitar e incentivar o espírito de inovação e o empreendedorismo em um ambiente moderno e inovador. Os espaços físicos foram reformados e contam com suporte tecnológico, sem deixar de lado o conforto.

Resultado de um processo de reestruturação, a escola é voltada para lideranças, gestores e colaboradores. Por isso, a diversidade de cursos vai além dos conteúdos operacionais, alcançado o universo de negócios e gestão. 

A escola baseia a educação corporativa em três pilares: atual, prático e relevante. A metodologia prioriza cursos rápidos e adota o modelo híbrido de ensino, que mescla atividades presenciais e virtuais. Os participantes podem escolher entre cursos presenciais, online/ao vivo e EAD. 

Na plataforma de educação a distância são cerca de 1,2 mil títulos disponíveis. Em média, são ofertados entre 14 e 20 cursos mensais. Também há possibilidade de treinamentos in company. Este ano, juntos, Centro de Treinamento e Escola de Negócios ofertaram 61 cursos, sendo 35 presenciais e 26 online, que contaram com a participação de 800 pessoas.


Comércio bonito

Ter uma loja bonita é uma das estratégias para atrair o consumidor que, com a pandemia, aprendeu a comprar mais pela internet. Por isso, a Associação Comercial está executando a campanha ‘Comércio Bonito é Comércio Bem Cuidado’ para incentivar a revitalização das lojas. E os empreendedores contam com linha de crédito para isso, por meio de uma parceria com o Sicoob, que oferece recursos com taxa de 0,55% mais CDI. Para isso, é preciso que a operação seja avalizada pela Noroeste Garantias, que funciona no prédio da ACIM. Outra opção é o crédito ofertado pela Fomento Paraná.